Justiça suíça pede 28 meses de prisão para presidente do PSG


Promotores do Ministério Público da Justiça da Suíça pediram 28 meses de prisão para o presidente do Paris Saint-Germain, o catari Nasser Al Khelaifi, e 35 meses para o ex-secretário geral da Fifa, Jerôme Valcke, por acusações de tráfico de influência na negociação dos direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030. Khelaifi também preside a companhia beIN Media, emissora de TV no Catar responsável por jogos de futebol.  A informação é do jornal espanhol As.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca

O caso vem à tona horas antes do Paris Saint-Germain decidir diante do Real Madrid, às 17h (de Brasília), no estádio Santiago Bernabéu, uma das vagas entre os oito melhores da Liga dos Campeões.

A investigação começou em 2017 e é baseada no superfaturamento na negociação dos direitos de transmissão. O valor de 440 milhões de euros (2,4 bilhões de reais) pagos pela emissora à Fifa foram considerados excessivos com relação aos mundiais anteriores.

Inicialmente, o fisco suíço já havia pedido a prisão de ambos, mas acabaram absolvidos em primeira instância em 2020. Um novo veredito deve ser dado até esta quinta-feira, 10.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.