Apple mostra Mac Studio, com novo processador M1 Ultra e preço de até R$ 47 mil


Computador vem com chip de 20 núcleos e foi projetado para tarefas pesadas, como edição de vídeo e modelagem 3D; valor não inclui o monitor Studio Display, que custa mais R$ 18 mil; iPhone SE e iPad Air ganham novas versões; veja lançamentos 

<span class="hidden">–</span>Apple/Reprodução

A apresentação começou com a nova versão do iPhone SE, o smartphone “de entrada” da Apple. A novidade é que ele vem com o A15 Bionic, o mesmo processador do iPhone 13. A tela continua pequena, com 4,7 polegadas, e o iPhone SE mantém o leitor de impressões digitais TouchID (não tem o FaceID dos modelos mais caros). 

Em compensação, ele é compatível com internet 5G. A câmera é uma só, mas com o grande trunfo da Apple – o processamento das imagens via software. Um pacote competitivo, mas não exatamente barato: US$ 429. No Brasil, R$ 4.199. 

<span class="hidden">–</span>Apple/Reprodução

Em seguida, veio o novo iPad Air com processador M1 – o mesmo dos Macs e do iPad Pro. Um salto de desempenho e tanto, com um porém: o iOS continua sendo uma limitação (não roda os softwares mais pesados e complexos, que mais se beneficiariam do chip M1). Vai custar US$ 599, e estará disponível em cinco cores. No Brasil, R$ 6.799. 

<span class="hidden">–</span>Apple/Reprodução

O Mac ganhou um novo processador, o M1 Ultra. Ele é formado por dois chips M1 Max conectados por um barramento interno de altíssima velocidade, que a Apple batizou de UltraFusion e permite trafegar 2,5 terabits de dados por segundo. O chip resultante tem 20 núcleos, sendo 16 de alta performance e 4 de baixo consumo de energia, e GPU (aceleradora de vídeo) com 64 núcleos. 

Ainda não é uma evolução da microarquitetura M1: a Apple simplesmente adicionou mais núcleos (o que já tinha feito com o M1 Pro e o M1 Max). Segundo a empresa, o M1 Ultra é mais veloz do que os chips de 16 núcleos para PC (fabricados pela Intel e pela AMD), mas consome menos da metade da energia. A conferir. 

Continua após a publicidade

<span class="hidden">–</span>Apple/Reprodução

O M1 Ultra equipa o novo computador Mac Studio. Ele é um desktop bem pequeno, com 20×10 cm (parece um Mac mini com o triplo da altura), mas altíssimo desempenho. Segundo a Apple, o Studio é até 80% mais rápido que o Mac Pro atual. 

<span class="hidden">–</span>Apple/Reprodução

É uma máquina para edição de vídeo em 4K e 8K, modelagem e animação 3D, desenvolvimento de software e outras tarefas pesadas. O Mac Studio com chip M1 Ultra vai custar US$ 3.999. Também haverá uma versão com o processador M1 Max, por US$ 1.999. 

<span class="hidden">–</span>Apple/Reprodução

No Brasil, o Mac Studio vai custar R$ 23 mil (com o chip M1 Pro) e impressionantes R$ 47 mil na versão com M1 Ultra.  

<span class="hidden">–</span>Apple/Reprodução

A Apple também mostrou uma nova versão do Studio Display, um monitor de 27 polegadas com resolução 5K, webcam de 12 megapixels e seis alto-falantes embutidos. US$ 1.599 (no Brasil, R$ 18 mil).

Compartilhe essa matéria via:

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.