Rússia punida, violência no futebol e estaduais: o resumo do fim de semana


O final de semana no mundo do futebol foi agitado com notícias quentes dentro e fora das quatro linhas. O esporte não esteve alheio à guerra na Ucrânia e, no domingo, 27, a Fifa estabeleceu um pacote inicial de sanções contra a Rússia. O conflito também repercutiu no Chelsea, com o bilionário empresário russo Roman Abramovich abrindo mão do comando do clube. Foram muitos os casos de violência à atletas, de maneira semelhante ao que aconteceu com o Bahia durante a semana passada. Além disso, houve os destaques das rodadas dos estaduais. Confira, abaixo, um resumo do final de semana.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

Fifa estabelece sanções para a Rússia

A Fifa se manifestou durante a tarde deste domingo, 27, sobre a guerra na Ucrânia e definiu um pacote inicial de sanções contra a Rússia, que invadiu o país vizinho durante a última semana. A seleção russa não poderá jogar com a sua bandeira e, em seus jogos, também não será executado o hino nacional do país. Além disso, a equipe deverá jogar com o nome de “União de Futebol da Rússia” e não “Rússia”. Nenhuma competição internacional poderá ser disputada em território russo. Assim, os jogos com mando da seleção russa serão transferidos para outro país, com portões fechados e em campo neutro.

Violência no futebol

O final de semana reservou cenas tristes por todo o Brasil. Depois do ônibus do Bahia ser atingido por um explosivo na última quinta-feira, outros casos de violência a atletas foram registrados. No sábado, o ônibus do Grêmio foi alvo de pedradas por parte de torcedores do Internacional na chegada ao Beira-Rio. Três jogadores do Tricolor ficaram feridos. Entre eles, o volante paraguaio Villasanti, que foi atingido por uma pedra e sofreu traumatismo craniano e concussão cerebral. Ele teve alta neste domingo. O clássico foi adiado pela Federação Gaúcha de Futebol. No Paraná, o ônibus do Cascavel também foi atingido por pedradas depois do confronto contra o Maringá. Ninguém ficou ferido. Já os atletas do Paraná Clube  foram vítimas de agressão dentro de campo. Durante a derrota para o União-PR, que decretou o rebaixamento da equipe no estadual, torcedores invadiram o gramado e partiram para cima dos jogadores.

Eriksen voltou aos gramados após oito meses

Pouco mais de oito meses depois de sofrer uma parada cardíaca durante uma partida da Eurocopa, o dinamarquês Christian Eriksen voltou a campo no último sábado, 26. Aplaudido por todo o público presente no estádio, o meia entrou na segunda etapa do confronto entre Brentford e Newcastle, pelo Campeonato Inglês, e, após o apito final, comemorou o seu retorno aos gramados.

Continua após a publicidade

Corinthians venceu, e Palmeiras ficou no 0 a 0

Pela 9ª rodada do Campeonato Paulista, o Corinthians recebeu o Red Bull Bragantino na manhã de domingo, 27, e venceu por 1 a 0 com gol marcado por Gustavo Silva. O recém-contratado Vítor Pereira assistiu a partida dos camarotes da Neo Química Arena. Já o Palmeiras foi com os reservas encarar a Inter de Limeira e ficou apenas no 0 a 0.

Fluminense bateu o Vasco e abriu vantagem sobre Flamengo, que empatou com Resende

Pelo Campeonato Carioca, o Fluminense se impôs contra o Vasco, no sábado, 26, e venceu por 2 a 0. Cano e Nonato marcaram os gols do Flu, que contou com boa atuação de Paulo Henrique Ganso, dono das duas assistências do jogo. A equipe de Abel Braga abriu vantagem sobre o Flamengo, que ficou no 2 a 2 contra o Resende. O Rubro-Negro viu o adversário abrir 2 a 0, com duas falhas de Diego Alves, mas Arrascaeta e Gabigol evitaram a derrota com gols nos minutos finais.

Abramovich entrega comando do Chelsea

O bilionário empresário russo Roman Abramovich anunciou neste sábado, 26, que entregará o comando do Chelsea. Em comunicado, o proprietário do clube inglês desde 2003 informou que “dará aos curadores da fundação de caridade do Chelsea a administração e os cuidados do clube”. Ele não menciona, mas a ação é vista como fruto de pressão por causa de sua ligação com o presidente russo Vladimir Putin, que autorizou ação militar na Ucrânia com ataques de mísseis e a invasão de fronteiras.

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.