Quero misturar ritmos do Nordeste com outras línguas, diz Duda Beat sobre carreira internacional


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A cantora pernambucana Duda Beat se prepara para sua turnê na Europa. Em abril, a rainha pop da sofrência tem shows marcados em oito cidades: Berlim, Paris, Londres, Dublin, Lisboa, Porto, Madri e Barcelona.

É a segunda passagem da artista com apresentações no Velho Continente, onde esteve em outubro e novembro de 2019. À época, porém, não esteve na Inglaterra, França nem na Irlanda.

“Eu estou muito ansiosa”, diz Duda Beat à reportagem. “A principal diferença [de shows fora do país] é o fato de não poder levar toda a estrutura que tenho aqui, tanto de banda, a banda completa, tanto de estrutura de palco”, compara.

“Mas o show em si, o repertório, vai ser igual. Eu quero transmitir o mesmo carinho que eu tenho pelos fãs aqui dentro do país lá fora.”

Antes de levar suas músicas com toques de piseiro, maracatu, frevo, brega e pop com a turnê do álbum “Te Amo Lá Fora”, ela lançou nesta sexta (18) seu single “Dar Uma Deitchada”.

A nova música, conta Duda, foi inspirada em suas vivências com seus amigos, especialmente em um período de pandemia de Covid e traz uma expressão que usa em sua rotina.

“A inspiração é a nossa vida, é a vida das minhas amigas, é a minha vida. E foi assim que a faixa nasceu, como um uma observação”, relata.

É para ser um hit mais dançante, de uma fase mais solar, como ela intitula, ao contrário da essência mais sombria de seu último trabalho.

“Sempre escutei dos meus amigos que sou uma melhor amiga, estou pronta para sair e dançar até cansar, como também posso ser uma ótima companhia para simplesmente ‘deitchar’ e assistir a uma série a noite toda”, afirma a cantora.

“A expressão principal da música consegue trazer duplo sentido e eu acredito que muitas mulheres irão se identificar. Muitas vezes nos sentimos empoderadas e ao mesmo tempo cansadas”, diz.

Uma das ideias é conquistar as redes sociais e promover desafios de dança. O clipe de “Dar uma Deitchada” tem previsão de lançamento para o dia 12 de março. A coreografia que acompanha a canção é assinada por Flávio Verne, responsável por passos de artistas como Luísa Sonza e Pabllo Vittar.

Mesmo sabendo do potencial para viralizar em redes como o TikTok, Duda afirma que não se deixa levar simplesmente por essas tendências nem se levar por números.

“Eu tento não me contaminar nem contaminar o meu trabalho assim por causa da pressão do mercado e de redes sociais”, ressalta. “A ‘Deitchada’, por exemplo, é tão verdadeira, ela nasceu de mim. E dançar no TikTok, viralizar, é tudo consequência do que nasce verdadeiramente dentro do meu coração.”

No momento em que viaja para uma turnê na Europa e também é atração do Rock in Rio, em setembro, Duda também fala sobre a vontade de ter uma carreira internacional.

“Pretendo lançar algo em outras línguas, inglês, espanhol. E levar também os ritmos do Nordeste, misturar com outras línguas. Acho que vai ser bem bacana, né?”

Para os planos se consolidarem, ela investe no inglês e afirma que pretende começar a estudar espanhol neste ano. “Fazer parcerias com outros artistas da América Latina, de Portugal, dos Estados Unidos”, afirma ao citar nomes como os americanos Lady Gaga e Kendrick Lamar e a espanhola Rosalía.

Por ora, esses nomes parecem sonhos para Duda, mas no Brasil já teve oportunidade de ser notada e trabalhar com expoentes nacionais.

Caetano Veloso cita o nome da cantora na faixa “Sem Samba Não Dá”, de seu último disco, “Meu Coco”, lançado em 2019.

“Eu fiquei muito emocionada, com lágrimas nos olhos”, relembra. “Senti que uma pessoa que eu admiro muito conseguiu ver na minha arte algo com que ele se identifica e isso para mim é maravilhoso, muito grandioso.”

Sem dar muitos detalhes, Duda conta ainda que participa de um documentário em que canta com Gilberto Gil e também há a participação de Caetano. “É um documentário que celebra um momento muito importante, um ritmo super nordestino.”
*
DUDA BEAT NA EUROPA

13 de abril – Club Gretchen | Berlim
15 de abril – New Morning | Paris
16 e 17 de abril – Jazz Café | Londres
18 de abril – Opium | Dublin
22 de abril – Capitólio | Lisboa
23 de abril – Hard Club | Porto
24 de abril – IBEROEXPERIA | Madri
28 de abril – La Nau | Barcelona


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.