Ministro das Relações Exteriores da China pede paz na Ucrânia


O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse que todas as partes envolvidas na crise na Ucrânia devem trabalhar para diminuir a tensão em vez de estimular a guerra.

Durante seu discurso virtual na 58ª Conferência de Segurança de Munique no sábado (19), Wang disse que a integridade territorial e a independência de todos os países devem ser respeitadas e salvaguardadas.

“Esta é uma norma básica das relações internacionais que incorpora os propósitos da Carta da ONU. É também a posição consistente e baseada em princípios da China. E isso se aplica igualmente à Ucrânia”, disse ele. “Se alguém questiona a atitude da China sobre este assunto, é um sensacionalismo mal intencionado e uma distorção da posição da China.”

Wang acrescentou que é imperativo retornar ao acordo de Minsk II o mais rápido possível e que, até onde ele sabe, Rússia, União Europeia e EUA expressaram apoio ao acordo.

Quanto à segurança da Europa, Wang disse que todas as partes são livres para expor suas próprias preocupações, e as “preocupações razoáveis ​​de segurança” da Rússia devem ser respeitadas e levadas a sério.

“A China espera que todas as partes busquem o diálogo e a consulta para encontrar uma solução que seja realmente conducente à salvaguarda da segurança da Europa”, disse.

A China – que tem suas próprias tensões com o Ocidente – expressou repetidamente apoio diplomático à sua aliada, a Rússia, à medida que as tensões sobre a Ucrânia se intensificaram.

Em um comunicado conjunto divulgado no início de fevereiro, o presidente russo, Vladimir Putin, e seu colega chinês, Xi Jinping, disseram que ambos os lados se opunham a “nova ampliação da Otan”. A Rússia teme que a Ucrânia possa aderir à aliança.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Ministro das Relações Exteriores da China pede paz na Ucrânia no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.