Ucranianas estudam preparação para crises e capacidade de autodefesa em Kiev


Quando a Guarda Feminina da Ucrânia anunciou um convite para um curso de sobrevivência e autodefesa, 700 mulheres se inscrevera. Mas a sala na Câmara Municipal de Kiev, onde o treino estava programado para ter lugar no sábado, só podia acolher até 300 pessoas, então foram acrescentadas mais datas.

As mulheres estudaram tudo, desde como embalar um saco de emergência, onde obter os mantimentos necessários e como parar a hemorragia.

A certa altura, um dos instrutores, Oleksandr Biletskiy, começou a falar sobre a sobrevivência em uma cidade que foi isolada dos serviços básicos, dizendo aos participantes que agora era o momento de fazer planos com os seus vizinhos.

“Decidir como dividir as tarefas. Quem vai cozinhar, quem vai cuidar dos idosos, quem vai estar com as crianças”, disse Biletskiy, um perito militar.

Natalia Skryabina disse que participar no curso a ajudou a compreender o tipo de mentalidade de que precisaria em uma crise / Ivana Kottasova/CNN

Ele abordou a importância de manter uma boa higiene nas condições do campo: decidir onde será a casa de banho, manter o lixo em sacos, e, na pior das hipóteses, estar preparado para enterrar rapidamente os mortos. A certa altura, disse que, em uma situação de crise, enterrar as pessoas verticalmente pode poupar espaço e tempo.

Natalia Skryabina, uma artista de animação de 36 anos, foi para a formação porque queria estar preparada para uma situação de crise, seja ela um desastre natural ou uma guerra.

“Não podemos prever o que acontece do outro lado. Aqui em Kiev, ainda sentimos que estamos muito longe disso, mas as pessoas no leste falam de maneira diferente, porque já passaram por isso, sabem que tudo pode acontecer”, disse ela.

“Há oito anos, ninguém esperava que algo assim pudesse acontecer”, disse ela, referindo-se à guerra no leste e à decisão da Rússia de anexar a Crimeia.

Victor Kraevskiy demonstra movimentos básicos de autodefesa durante o treino prático / Ivana Kottasova/CNN

Skryabina disse que depois de uma amiga lhe ter falado sobre o curso, leu notas feitas por pessoas que já tinham frequentado a preparação.

“Mas isto ensinou-me mais sobre a forma de pensar em crise. Como estar preparada e como permanecer calma”, disse ela, acrescentando que estava utilizando a formação para se certificar de que estava preparada para qualquer eventualidade. “Vou agora comprar um extintor de incêndios”, disse ela.

Durante o treino prático de autodefesa, duas mulheres praticaram usando as suas mãos para evitar um potencial agressor.

“Nunca faça um punho. Não funciona, vai partir os dedos, usar as palmas das mãos”, disse Victor Kraevskiy, um dos instrutores, às mulheres reunidas no salão ornamentado.

As mulheres que frequentam o curso analisam os itens que podem ser úteis em situações de crise / Ivana Kottasova/CNN

Yulia Kesaieva contribuiu para esta reportagem

Este conteúdo foi originalmente publicado em Ucranianas estudam preparação para crises e capacidade de autodefesa em Kiev no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.