Presidente da Ucrânia confirma presença na Conferência de Segurança de Munique neste sábado (19)


O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, confirmou sua presença na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha, neste sábado (19), antes de retornar a Kiev no final do dia, informou seu gabinete em comunicado na manhã de hoje.

Zelensky manterá conversas com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, o chanceler alemão Olaf Scholz e a vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, disse o comunicado.

“Zelensky espera acordos concretos para fornecer ao nosso país apoio militar e financeiro adicional para fortalecer a resiliência da Ucrânia”, acrescentou.

“Naturalmente, as discussões na Conferência de Segurança de Munique deste ano se concentrarão nas ameaças atuais na Europa Oriental e na situação em torno da Ucrânia. Portanto, a posição de nosso estado deve ser apresentada o suficiente para que os problemas da Ucrânia sejam resolvidos com a participação da Ucrânia”, continua o comunicado.

“A situação na linha de toque em Donbas, na República Autônoma da Crimeia e perto das fronteiras da Ucrânia está sendo analisada por serviços especiais de nosso estado. Há uma análise constante de inteligência e troca de informações com parceiros. A Ucrânia recebe regularmente informações adicionais e atualizadas sobre a atividade das forças russas.”

“A situação no leste do país é completamente controlada pelas forças de segurança e defesa ucranianas.”

Funcionários do governo dos EUA pediram que Zelensky não deixasse Ucrânia

A CNN informou na sexta-feira (18) que funcionários do governo Biden pediram em particular a Zelensky que não deixasse a Ucrânia para visitar Munique, devido a preocupações sobre uma possível incursão da Rússia, de acordo com três funcionários dos EUA e um alto funcionário ucraniano.

“Essa é uma decisão para ele tomar, mas independentemente de qual decisão ele tome, ele encontrará um parceiro forte nos Estados Unidos”, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, durante o briefing, quando perguntado se seria sensato Zelensky fazer essa viagem.

Algumas autoridades dos EUA estão preocupadas que, se ele deixar o país, isso possa abrir a porta para a Rússia fazer falsas alegações de que ele fugiu. Embora as autoridades não tenham pedido explicitamente a Zelensky para não fazer a viagem – e tiveram o cuidado de deixar claro que a decisão era dele – essas preocupações foram comunicadas, disse uma das autoridades.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Presidente da Ucrânia confirma presença na Conferência de Segurança de Munique neste sábado (19) no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.