Kamala fala em sanções sem precedentes a bancos e indústrias russos caso haja invasão


A vice-presidente Kamala Harris prometeu neste sábado (19) que haverá uma resposta “rápida, severa e unida” se a Rússia invadir a Ucrânia em um discurso altamente esperado na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha. Harris afirmou que os Estados Unidos estabeleceriam medidas de retaliação de maneira condizente e prometeu sanções “significativas e sem precedentes” a bancos e indústrias da Rússia.

“Iremos impor sanções financeiras de longo alcance e controles de exportação. Atingiremos as instituições financeiras e indústrias-chave da Rússia. E alvejaremos aqueles que são cúmplices e aqueles que ajudam e incentivam essa invasão não provocada”, disse Harris.

Com o crescente conflito entre a Rússia e a Ucrânia chegando ao ponto de ebulição, Harris ocupou o centro do palco na manhã deste sábado em frente a uma grande audiência internacional enquanto fazia o discurso principal na conferência de segurança.

As declarações vieram em um momento de alto risco, após repetidos alertas dos Estados Unidos nesta sexta-feira (18) sobre os esforços da Rússia para invadir a Ucrânia.

A ênfase da vice-presidente nas tensões Rússia-Ucrânia é a continuação de vários esforços dos Estados Unidos para divulgar as ações agressivas da Rússia na região e tentar impedir que o país invada a Ucrânia sob falsos pretextos.

Em declaração na Casa Branca nesta sexta, o presidente Joe Biden disse que está convencido de que o presidente russo Vladimir Putin tomou a decisão de invadir a Ucrânia, acrescentando que os EUA acreditam que as forças russas pretendem atacar a Ucrânia “na próxima semana” ou antes – e que um ataque terá como alvo a capital ucraniana de Kiev.

Foi uma grande mudança retórica para Biden, que havia indicado anteriormente acreditar que Putin ainda não havia se decidido sobre uma invasão. Ainda assim, enfatizou Biden nesta sexta, havia espaço para a diplomacia.

Um alto funcionário do governo disse a repórteres, antes dos comentários de Harris, que deixaria claro que os EUA estariam prontos para qualquer resultado.

“Estamos alertando o mundo sobre o que temos medo e vendo dos russos essas provocações, que tememos que possam usar como pretexto para invadir a Ucrânia e nas últimas horas ou dias, infelizmente”, disse o funcionário.

A desinformação russa está se transformando em uma falsa justificativa para Putin ordenar uma invasão, disse Biden, acusando a Rússia de violações do cessar-fogo em uma “crise em rápida escalada”.

Nesta sexta, a Casa Branca também culpou a Rússia por um ataque cibernético maciço à Ucrânia no início da semana e alertou que a Rússia pode enfrentar sanções extensas se invadir seu país vizinho. Daleep Singh, vice-conselheiro de segurança nacional para economia internacional e vice-diretor do Conselho Econômico Nacional. , classificou as sanções como as “medidas mais severas que já contemplamos contra a Rússia”.

O alto funcionário dos EUA disse ainda que Harris planeja se encontrar após o discurso com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, e também realizará algumas reuniões informais, chamadas “pull sides”, com outros líderes.

Apesar da avaliação dos EUA de uma invasão iminente da Ucrânia, Biden disse nesta sexta-feira que cabe ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, decidir se participará da conferência de segurança deste fim de semana na Alemanha.

Um alto funcionário ucraniano disse à CNN que Zelensky planeja viajar para Munique e voltar no mesmo dia. Mas acrescentou que a “situação de segurança será reavaliada pela manhã”.

O funcionário que previa os planos da vice-presidente para o fim de semana disse que a decisão “é realmente dele. Cabe a ele decidir onde ele precisa estar”.

Questionado especificamente se eles estavam preocupados, o funcionário disse, categoricamente: “Não”.

Alemanha diz que sanções da União Europeia contra a Rússia estão prontas

A ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, disse neste sábado que um pacote de sanções contra a Rússia foi “encerrado nos últimos dias e semanas”.

Ela acrescentou que a União Europeia também “deixou claro que não é apenas o cenário de tropas sendo movidas para o país que desencadeará essas sanções”, falando em entrevista coletiva à margem da Conferência de Segurança de Munique neste sábado.

Baerbock fez os comentários após uma reunião com representantes da União Europeia. Ela disse que diferentes cenários estão sendo preparados, acrescentando que o grupo está fazendo o que pode “para garantir que esses cenários não se tornem realidade”.

“Nem sempre é a reação mais dura que é a melhor arma. Então, temos que olhar mais de perto a situação que está surgindo e avaliá-la com base nisso. Como eu disse, o pior que poderia acontecer seria mais interferência. Esse seria realmente o pior cenário, e faremos o que pudermos para evitar isso”, disse Baerbock.

Allie Malloy e Manveena Suri, da CNN, contribuíram para esta reportagem.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Kamala fala em sanções sem precedentes a bancos e indústrias russos caso haja invasão no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.