Manual: como começar a ver os clássicos do cinema?


Entenda o contexto

<span class="hidden">–</span>Amanda Ishibashi/Superinteressante

Filmes são um registro do tempo em que foram feitos. Efeitos especiais datados, ritmo lento e o preto e branco são barreiras se você pensar na experiência como entretenimento, mas se tornam informações valiosas se você mudar sua chavinha para entender o longa como um documento histórico.

Escolha filmes…

<span class="hidden">–</span>Amanda Ishibashi/Superinteressante

…com temas universais. Amor sempre foi amor. Listas não faltam: estão em jornais e livros, e diretores famosos sempre revelam suas influências: Martin Scorsese (O Lobo de Wall Street), Spike Lee (Faça a Coisa Certa) e Edgar Wright (Baby Driver), para citar alguns.

Rankings temáticos de clássicos do terror ou musicais ajudam quem curte gêneros específicos. Para encontrar, busque streamings alternativos, como o Mubi. Telecine Play, Looke e Google Play também têm bons acervos de clássicos.

De olho nas versões

<span class="hidden">–</span>Amanda Ishibashi/Superinteressante

Clássicos ganham versões remasterizadas com o tempo. Melhoras técnicas no áudio e no vídeo são bem-vindas. Mas é preciso ficar atento a novos cortes, adição de cenas ou finais alternativos. Mesmo quando feitos pelo diretor original, eles podem piorar o filme. Na dúvida, opte pela versão que estreou nos cinemas.

Não entendeu?

<span class="hidden">–</span>Amanda Ishibashi/Superinteressante

Sem problemas. Filmes não precisam, necessariamente, de explicação. Como qualquer obra de arte, as sensações que você experimenta e as interpretações que tira são tão importantes quanto o enredo. Se a sua cabeça continuar inquieta depois da sessão, vá atrás de críticas e ensaios sobre a obra.

Continua após a publicidade

Sugestões para começar:

Cidadão Kane (1941)

Belas Artes À La Carte, HBO Max, Looke

Onipresente nas listas de maiores, a saga do magnata Charles Foster Kane inovou com técnicas de narrativa e gravação que, mais tarde, se tornaram o padrão-ouro de Hollywood. Parece feito ontem.

Cantando na Chuva (1952)

HBO Max

A obra-prima com Gene Kelly é uma história de amor com um pano de fundo histórico – o impacto da chegada dos filmes falados no fim dos anos 1920.

Janela Indiscreta (1954)

Google Play, Now

Um fotógrafo quebra a perna e passa a acompanhar a vida dos vizinhos pela janela – até suspeitar de um assassinato. Porta de entrada para a obra do diretor Alfred Hitchcock.

São Paulo: Sociedade Anônima (1965)

Globoplay, Looke, YouTube

O clássico nacional narra as aflições pessoais e profissionais de Carlos, funcionário de uma fábrica de autopeças na São Paulo dos anos 1950.

Fonte: Sérgio Alpendre, crítico e professor de cinema. 

Compartilhe essa matéria via:

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.