Diamante azul recorde pode ser arrematado por R$ 250 milhões em leilão


Um dos diamantes azuis mais valiosos já apresentados em um leilão pode ser vendido por mais de US$ 48 milhões, segundo a Sotheby’s.

Chamado de “The De Beers Cullinan Blue”, é o maior diamante azul vívido a ser leiloado, de acordo com um comunicado de imprensa da Sotheby’s divulgado nesta quarta-feira (16)

A gema de 15,10 quilates também é “o maior diamante azul vívido cortado internamente sem falhas” a ser avaliado pelo Instituto Gemológico da América (GIA), segundo informou o comunicado.

Descrevendo o diamante como “excepcionalmente raro”, a Sotheby’s acrescentou que apenas cinco pedras com mais de 10 quilates já foram leiloadas. Nenhum jamais ultrapassou os 15 quilates, “tornando a aparência desta joia um evento marcante”.

O diamante raro foi encontrado na mina Cullinan, na África do Sul, em 2021, e alcançou as classificações mais altas, de acordo com os padrões pelos quais os diamantes coloridos são julgados.

Foi categorizado como “azul vívido extravagante” pelo GIA – a classificação de cores mais alta possível, que foi concedida a não mais de 1% dos diamantes azuis enviados à organização.

A joia possui excelente polimento, e é do Tipo IIb, o que significa que contém boro e, portanto, possui um tom cinza-azulado, segundo o site do GIA. Menos de 0,5% dos diamantes fazem parte dessa categoria.

“Diamantes azuis de qualquer tipo são raros no mercado, mas este é o mais raro dos raros; nada de calibre remotamente semelhante apareceu em leilão nos últimos anos”, disse Patti Wong, presidente da Sotheby’s Asia, no comunicado.

“Centenas de milhões de anos em fabricação, este extraordinário diamante azul é certamente uma das melhores criações da natureza. Agora trazido à vida pela mão de um dos lapidadores mais habilidosos do mundo, é a obra-prima definitiva – tão rara e desejável como as maiores obras de arte.”

Sotheby’s/De Beers/Diacore

“Em um momento de demanda sem precedentes pelos melhores diamantes coloridos de classe mundial, estamos incrivelmente animados em trazer ao mercado o que certamente se tornará uma das gemas mais celebradas do mundo”.

Os diamantes azuis são cobiçados devido à sua raridade e coloração marcante. A mina Cullinan produziu uma variedade de gemas valiosas, incluindo o Cullinan Diamond de 3.106 quilates descoberto em 1905, que é o maior diamante já registrado, de acordo com o Cape Town Diamond Museum, na África do Sul.

A “Lua Azul de Josephine” é um diamante azul de 12,03 quilates que foi vendido por US$ 48,4 milhões em 2015. Ele ainda detém o recorde de leilão para o preço por quilate de qualquer diamante ou pedra preciosa.

Outras descobertas recentes incluem “The Sakura”, um diamante rosa-púrpura de 15,81 quilates que foi vendido por US$ 29,3 milhões na Christie’s em maio do ano passado.

“The De Beers Cullinan Blue” está programado para ser leiloado em um evento independente na Sotheby’s Hong Kong Luxury Week no final de abril.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Diamante azul recorde pode ser arrematado por R$ 250 milhões em leilão no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.