Semana de moda de NY: marca substitui desfile por show com modelos holográficas


As estampas psicodélicas criadas digitalmente pela designer Maisie Schloss em suas roupas de festa chiques inspiradas no ciberespaço já estão se sentindo em casa na indústria da moda – setor que está, cada vez mais, olhando para as possibilidades de um futuro virtual.

Durante a New York Fashion Week, ela desenvolveu uma coleção digital para a sua grife Maisie Wilen, e apresentou por meio de modelos holográficos que mediam mais de dois metros de altura.

No fim de semana, os convidados da passarela entraram em uma galeria para encontrar os modelos virtuais alinhados em fila, realizando um conjunto de movimentos repetitivos, como GIFs.

Inspirados nas bonecas da franquia “Monster High”, da Mattel, algumas usavam pintura corporal verde e azul, orelhas e barbatanas de criaturas, enquanto giravam no espaço, balançavam os quadris, apontavam para os convidados e às vezes emitiam choques de relâmpagos ou bolhas azuis animadas.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Maisie Wilen (@maisie_wilen)

 

A coleção retrofuturista tem muitos acenos para mundos virtuais – alguns modelos usavam óculos VR – com algumas silhuetas dos anos 2000, como tops de festa cintilantes, casacos de vinil e vestidos sem costas. Em colaboração com o Yahoo, a estilista queria “realmente que isso servisse como um estudo entre realidade e fantasia – o que faz algo que é real parecer irreal?”, explicou ela em uma chamada de vídeo à CNN.

A estilista de Los Angeles, cuja grife leva o nome de solteira de sua mãe, começou a carreira com Kanye West, trabalhando como assistente na Yeezy e chegando ao cargo de designer de roupas femininas. Três anos atrás, West concedeu a ela a primeira bolsa de seu programa de incubadora e ela fundou sua própria marca.

Desde então, suas peças foram usadas por Kim Kardashian, Bella Hadid e Kylie Jenner e apareceram no programa da HBO “Euphoria”, em que a estética e-girl e a maquiagem de fantasia reinam nos corredores do ensino médio da história.

Surreal, mas realista

Schloss já havia experimentado apresentações digitais, mas desta vez ela adotou uma abordagem híbrida, considerando espectadores assistindo o evento de casa, assim como participantes presenciais. Toda a coleção também está disponível por meio de um site de compras, que apresenta versões em realidade aumentada (AR) dos modelos e que podem ser acessados em seu espaço pessoal.

Nigel Tierney, que dirige a inovação de conteúdo do Yahoo, disse que o programa está longe de ser a “experiência tradicional de visualização passiva” de um desfile de moda.

“Eles podem brincar com a roupa em casa”, disse ele. O elenco, inspirado em “Monster High”, como a filha do monstro de Frankenstein, Frankie Stein, pode aparecer em AR em qualquer lugar onde o usuário esteja, vestindo as roupas de Maisie Wilen. “Estamos pensando em entrar no metaverso e ver o que isso significa para as marcas”, acrescentou.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Maisie Wilen (@maisie_wilen)

 

Como os shows físicos com grande público têm sido difíceis durante a pandemia, os designers adotaram desfiles e apresentações digitais e reimaginaram os limites do que um desfile de moda pode ser. Mas mesmo com o retorno dos shows presenciais, a influência virtual permaneceu, e Schloss está adotando totalmente a mudança.

“Não estamos mais presos a coisas que podemos mostrar durante um desfile de moda tradicional”.

E embora fazer justiça aos materiais no mundo digital possa ser complicado, a coleção de Schloss é feita para isso, inclinando-se para o que é surreal, “ou até mesmo desorientador”, disse ela.

“Eu utilizei estampas de ilusão de ótica, tecidos únicos que podem enganar os olhos”, explicou ela. “Tenho vinil holográfico e lantejoulas foscas que dão um efeito visual inusitado.”

Para criar os hologramas e imagens AR para o show, a equipe do Yahoo instalou 106 câmeras ao redor dos modelos em um espaço de estúdio, capturando imagens 360 em resolução 6K supernítida para mostrar todos os detalhes das roupas. Maisie diz que a experiência é “quase como viver dentro de um lookbook GIF”.

A imagem “traz tanta dimensão para a roupa… Você pode vê-la se mover de uma maneira muito surreal e realista”, disse.

E embora algumas marcas tenham começado a entrar no metaverso lançando sua coleção com roupas NFT digitais ao lado de suas roupas físicas, Schloss diz que não há planos de fazer o mesmo nesta temporada. Por enquanto, levar Frankie Stein para casa vestindo as roupas para você poderá usar, já é suficiente.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Semana de moda de NY: marca substitui desfile por show com modelos holográficas no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.