Queiroga diz que quarta dose será recomendada quando houver evidência científica


O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse à CNN que o governo federal recomendará uma quarta dose da vacina contra o coronavírus para a população em geral “quando houver evidência científica que justifique”.

Na semana passada, João Gabbardo, coordenador-executivo do Comitê Científico de São Paulo, afirmou em entrevista à CNN que a população do estado acima de 60 anos irá receber a quarta dose a partir do dia 4 de abril.

Segundo o ministro, a aplicação desta dose não é a prioridade no momento. Ele tem defendido a necessidade de completar o ciclo vacinal da população adulta. “Nós vamos superar essa crise sanitária com ações firmes “, ressaltou.

Na última sexta-feira (11), a Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 (CTAI) decidiu que não vai recomendar a quarta dose de vacina no Brasil. As informações foram antecipadas pela CNN.

Segundo fontes da câmara técnica, o entendimento é de que não há pesquisas científicas com dados suficientes para embasar um novo reforço de imunização para pessoas que não sejam imunossuprimidas.

Ainda de acordo com técnicos que compõem o comitê técnico, as pessoas que tomaram duas doses e o reforço estão com o esquema vacinal completo, e continuam bem protegidas contra a Covid- 19 e o agravamento da doença.

Ao longo da semana passada, a pasta recomendou dose de reforço contra a Covid-19 para adolescentes imunossuprimidos.

A pasta orientou que o esquema primário de vacinação desse grupo deve ser feito com três doses — primeira, segunda e a dose adicional — com intervalo de oito semanas entre elas.

Após a conclusão desse esquema, é recomendada uma dose de reforço quatro meses após a terceira dose.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Queiroga diz que quarta dose será recomendada quando houver evidência científica no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.