Delegada da PF que investiga Bolsonaro sairá de licença


A delegada Denisse Ribeiro Dias, da Polícia Federal, vai deixar momentaneamente os inquéritos que investigam Jair Bolsonaro (PL) para entrar em licença-maternidade na próxima segunda-feira (14).

Dias ficará fora por seis meses. Em seu lugar, assume o delegado Fábio Alvarez Shor, que já atua em conjunto com ela nas investigações envolvendo o presidente desde 2020.

Foi a delegada quem concluiu, em um dos inquéritos, que Jair Bolsonaro e o deputado federal Filipe Barros (PSL-PR) cometeram crime ao vazar documentos sigilosos de uma apuração sobre ataque hacker no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Denisse Ribeiro também detalhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) existência de uma milícia digital que age contra as instituições e a democracia, que teria usado a estrutura de um “gabinete do ódio”.

“Identifica-se a atuação de uma estrutura que opera especialmente por meio de um autodenominado ‘gabinete do ódio’: um grupo que produz conteúdos e/ou promove postagens em redes sociais atacando pessoas (alvos) – os ‘espantalhos’ escolhidos – previamente eleitas pelos integrantes da organização, difundindo-as por múltiplos canais de comunicação”, alegou Ribeiro, que assina o documento.

*Com informações de Rodrigo Vasconcelos, da CNN

Este conteúdo foi originalmente publicado em Delegada da PF que investiga Bolsonaro sairá de licença no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.