Fósseis da Era do Gelo são encontrados em caverna na Inglaterra


Desde 2015, uma nova cidade está sendo construída no condado de Devon, no sudoeste da Inglaterra. Com o nome de Sherford, ela vai abrigar mais de cinco mil casas, além de parques, escolas e empresas. As obras não foram concluídas, mas os primeiros moradores já deram as caras – encontrados por uma equipe de arqueólogos.

Em uma caverna na região, estavam escondidos ossos de animais da última Era do Gelo, como os de um mamute-lanudo e um rinoceronte-lanudo. Eles foram encontrados em escavações feitas durante obras de infraestrutura e agora estão sob investigação de cientistas das universidades de Manchester e Winchester e de outras instituições inglesas.

Os pesquisadores identificaram uma presa e dentes molares de um mamute, assim como o crânio e a mandíbula inferior de um rinoceronte (que você vê na imagem acima). Também foram encontrados um esqueleto quase completo de um lobo e restos parciais de hiena, cavalo, raposa, renas e lebres.

Presa de mamute-lanudo, uma das descobertas em Sherford.AC Arqueologia/Divulgação

Os fósseis têm entre 30 e 60 mil anos e datam do Devensiano Médio – nome que os cientistas atribuem a um período da última Era do Gelo em que grandes camadas de gelo cobriam as Ilhas Britânicas.

Os ossos foram encontrados juntos, mas ainda não está claro se os animais viveram ao mesmo tempo. Ao longo de milhares de anos, eles podem ter caído para dentro da caverna por um buraco na superfície (em caso de mortes acidentais) ou ter sido levados por predadores.

Continua após a publicidade

Danielle Schreve, do Centro de Pesquisa Quaternária em Royal Holloway, da Universidade de Londres, afirmou que os fósseis encontrados permitem a reconstrução da paisagem antiga da região – uma pradaria com “enormes rebanhos” de animais.

Crânio de lobo encontrado na caverna em Sherford.AC Arqueologia/Divulgação

Segundo a pesquisadora, os fósseis também oferecem conhecimento sobre como as espécies responderam às mudanças climáticas ao longo dos anos, a partir de sua evolução, expansão ou extinção. “Isso pode nos ajudar a tomar melhores decisões de conservação [ambiental] hoje.”

Compartilhe essa matéria via:

Quando os cientistas terminarem de examinar e estudar os restos mortais encontrados, eles serão entregues ao museu The Box, em Plymouth, a alguns quilômetros de Sherford. Já o futuro do local das descobertas está sob debate.

Uma petição foi lançada por ativistas para que a caverna não seja fechada ou alterada de alguma forma – e já atingiu cerca de cinco mil assinaturas. Enquanto isso, o Consórcio Sherford, responsável pela construção da nova cidade, afirmou que pretende vedar a entrada, para que o público não tente visitar o local.

No entanto, os desenvolvedores disseram que o Conselho do Condado de Devon e o órgão governamental Historic England seriam consultados para que uma decisão final seja tomada.

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.