Vendas de PlayStation e Switch sofrem com movimento de consolidação no setor


Duas das maiores empresas de videogames do mundo estão sentindo a pressão à medida que a guerra dos consoles esquenta.

As ações da Sony e da Nintendo, fabricantes do PlayStation e do Switch, respectivamente, caíram nesta quinta-feira (3) quando as duas gigantes japonesas cortaram suas previsões de vendas dos consoles.

A queda ocorre no momento em que as duas empresas lidam com a atual escassez global de chips e apenas algumas semanas depois que a Microsoft, fabricante do Xbox, anunciou planos de adquirir a Activision Blizzard em um acordo de grande sucesso no valor de quase US$ 70 bilhões.

A Sony reduziu na última quarta-feira sua previsão para o popular PlayStation 5, dizendo que espera vender 11,5 milhões de unidades no ano fiscal que termina em março. Isso está abaixo das 14,8 milhões de unidades previstas anteriormente.

As remessas da empresa e o corte de orientação foram “decepcionantes”, disse Kazunori Ito, diretor da Morningstar.

Enquanto isso, a unidade geral de jogos e serviços de rede da Sony também registrou uma queda de 8% nas vendas no trimestre encerrado em dezembro, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

As ações da empresa caíram 6% em Tóquio nesta quinta, apesar de superar as previsões gerais dos analistas.

As vitórias do grupo foram atribuídas em grande parte à divisão de cinema e televisão, incluindo “receitas de licenciamento da série de comédia Seinfeld e o sucesso do último filme do Homem-Aranha“, escreveu Yu Okazaki, analista da Nomura, em nota na quarta.

A Nintendo também disse que pode continuar sofrendo com problemas na cadeia de suprimentos global este ano. A gigante sediada em Kyoto mais uma vez reduziu sua previsão de vendas para o Switch, um grande sucesso no início da pandemia.

Agora, espera vender 23 milhões de unidades até o final do ano fiscal, que termina em março, abaixo das projeções anteriores de 24 milhões e 25,5 milhões de unidades em novembro e maio. As ações da Nintendo fecharam em queda de 2,8% nesta quinta, antes da apresentação.

Mas os resultados gerais da empresa ficaram em linha com as expectativas, de acordo com Ito.

As remessas de consoles Switch “não foram tão ruins” quanto o mercado temia, disse ele à CNN.

Houve também alguns pontos brilhantes. A Nintendo elevou sua previsão de vendas de software em 10% até março, para 220 milhões de unidades.

Esse lado do negócio provou ser “sólido” e impulsiona a maior parte dos lucros da Nintendo, permitindo até mesmo aumentar ligeiramente sua previsão financeira geral para o ano, observou Ito.

Guerra dos consoles

Analistas alertaram que a venda da Activision Blizzard para a Microsoft pode representar uma séria ameaça para a Sony, que compete com o Xbox há décadas.

Com a Activision Blizzard, a Microsoft adicionaria séries populares como “Call of Duty” e “World of Warcraft” à sua biblioteca – assim como os quase 400 milhões de jogadores ativos mensais que os acompanham.

No entanto, esta semana, a Sony fez sua própria notícia ao anunciar a aquisição da Bungie, desenvolvedora conhecida por sua criação de títulos como “Halo” e “Destiny”.

O acordo ajudaria a Sony a reforçar sua propriedade intelectual e tornar seu “negócio de jogos mais competitivo”, escreveram analistas da Nomura em nota na última terça-feira.

Enquanto isso, espera-se que a Nintendo esteja mais protegida das preocupações com a concorrência relacionadas à Activision Blizzard porque “as pessoas que querem jogar os jogos da Nintendo compram o hardware da Nintendo”, acrescentou Ito.

“Portanto, a Nintendo pode ainda diferenciar sua plataforma das outras.”

Este conteúdo foi originalmente publicado em Vendas de PlayStation e Switch sofrem com movimento de consolidação no setor no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.