Morre o estilista francês Thierry Mugler, ícone fashion, aos 73 anos


O estilista francês Thierry Mugler, cujas criações extravagantes transformaram a alta costura, morreu neste domingo (23) aos 73 anos, de acordo com uma mensagem postada em sua conta oficial do Instagram.

“Estamos devastados em anunciar a morte de Manfred Thierry Mugler no domingo, 23 de janeiro de 2022”, dizia o post. “Que sua alma descanse em paz”.

A marca do designer, Mugler, também confirmou a notícia através de um post no Instagram, descrevendo seu fundador como “um visionário cuja imaginação como costureiro, perfumista e criador de imagens empoderou pessoas ao redor do mundo a serem mais ousadas e sonharem mais alto a cada dia”.

Nascido em Estrasburgo, França, em 1948, Mugler trabalhou como designer freelancer em Paris antes de lançar sua marca em 1974. Na década de 1980, ele se estabeleceu como uma figura importante da moda internacional, com seus designs estruturais e de ombros largos simbolizando – – e ajudando a moldar – o estilo extravagante da década.

Depois de entrar no mundo da alta costura, os desfiles de Mugler e as coleções sazonais tornaram-se ainda mais teatrais. Reimaginando a moda como um espetáculo (muitas vezes com a ajuda das supermodelos, incluindo Kate Moss e Naomi Campbell), sua estética foi tão inspirada na ficção científica quanto no glamour dos anos 1940, muitas vezes mesclando construções clássicas com silhuetas exageradas e até surreais.

De bodysuits de robôs metálicos (um dos quais foi usado por Lady Gaga em seu videoclipe de “Paparazzi” em 2009) a designs com temas subaquáticos inspirados em peixes e sereias, seu trabalho sempre manteve uma sensação de elegância em meio ao drama.

O famoso vestido preto até o chão que ele desenhou para a personagem de Demi Moore no filme de 1993 “Proposta Indecente” provou, se fossem necessárias evidências, que ele não precisava de formas e cores ousadas para criar algo icônico.

Também um perfumista proeminente, Mugler lançou seu perfume extremamente popular “Angel” em 1992, ajudando a forjar uma ligação agora estabelecida entre moda de luxo e fragrâncias. Mas, apesar do sucesso do perfume, as criações prêt-à-porter de Mugler tornaram-se menos viáveis ​​comercialmente no início dos anos 2000, e o estilista deixou a indústria para buscar outros projetos criativos.

A influência de seus designs perdurou – e suas coleções dos anos 1990 tiveram um renascimento notável nos últimos anos, com celebridades recorrendo regularmente ao seu arquivo de 7.000 itens para declarações vintage.

De Cardi B participando do Grammy em um design Mugler de 1995 ao vestido ousado usado por Kim Kardashian para o Annual Hollywood Beauty Awards em 2019, a estética de Mugler provou ser perfeitamente adequada à estética exagerada do tapete vermelho de hoje.

O designer acabou concordando em trabalhar com o Museu de Belas Artes de Montreal na exposição “Thierry Mugler, Couturissime”, inaugurada em 2019 e atualmente em exibição no Musée des Arts Décoratifs em Paris.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Morre o estilista francês Thierry Mugler, ícone fashion, aos 73 anos no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.