Como e por que surgiu o nariz em humanos, se os chimpanzés têm fendas?


O mais provável é que nosso narigão seja um efeito colateral, um subproduto da evolução de outra característica: o rosto achatado do ser humano.

Chimpanzés e orangotangos têm um maxilar avantajado e a boca deslocada para frente em relação aos olhos. O Homo sapiens, por outro lado, tem a boca e os olhos basicamente alinhados no plano vertical.

Acredita-se que isso resulte de um processo chamado neotenização: nós somos primatas que retêm traços infantis na vida adulta. Bebês de chimpanzé, como nós, têm o maxilar mais retraído que seus pais, bem como um crânio mais arredondado e um cérebro proporcionalmente maior.

Manter as feições mirins em adultos exigiu uma reorganização do crânio, e o nariz acabou permanecendo protuberante enquanto a boca encolheu. Ou seja: o nariz seria um acidente decorrente da atuação de forças evolutivas sobre outros traços do rosto.

Uma outra hipótese, talvez complementar a essa, é a de que o nariz seria uma adaptação com função por si só: aquecer o ar conforme ele adentra o corpo, algo necessário conforme os humanos migraram para regiões mais frias. Porém, simulações de computador não indicam que nossa napa seja um aquecedor assim tão bom.

Pergunta de Maria Clara Rossini, repórter da Super

Fonte: Maria Mercedes Okumura, coordenadora do Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos do IB-USP.

Compartilhe essa matéria via:

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.